Atualizado el23 de julho de 2018, 22:06

Será queé necessário esperar essas duas ou três horas de rigor que nos exigiam nossos pais depois de comer? A resposta direta e clara é que não.

Mas você pode passar alguma coisa? Poder pode, porque existe um risco, embora não habitual, que é chamado de síndrome de hidrocución. E que, com algumas mínimas medidas de prevenção foi resolvido.

É UM MITO MUITO HISPÂNICO

Para o dr. Carlos González, autor de vários livros de pediatria, “o corte de digestão é um mito, quase que exclusivamente, hispânico. Alguns médicos, tentando conciliar o que lhes disse sua mãe com o que não dizem os livros de medicina, lançam mão deste síndrome de hidrocución, que é pouco habitual”.

A realidade é que os manuais mais sérios sobre saúde, como as recomendações de segurança da Academia Americana de Pediatria não dizem nada de esperar depois de comer. Nem os conselhos médicos para mergulhadores o mencionam.

“Nem mesmo nas revistas médicas portuguesas são publicados casos de corte de digestão ou hidrocución”, diz o pediatra Carlos González.

O QUE É A SÍNDROME DE HIDROCUCIÓN

No entanto, o doutor João Jesus Hernández, médico do departamento de saúde da Cruz Vermelha, considera que ainda não possuem estatísticas sobre o total de casos, “sim, que cada ano se dão problemas nas praias que podem dever-se a uma hidrocución”.

Relacionado com este artigo

Primeiros socorros

A síndrome de hidrocución é um malesatar ou até mesmo desmaio que se produz pelo contato súbito em água muito fria.

Não ocorre a digestão, mas em qualquer circunstância em que se dá uma mudança brusca de temperatura. “Há mais risco, por exemplo, depois de ter estado algum tempo a pleno sol ou estar muito acalorado por acabar de fazer esporte e, em seguida, lançar-se à água fria, aponta o dr. Hernandez.

Existe risco a partir do momento em que baixa a temperatura de nosso corpo, pelo menos, cinco graus. É dizer, que tem que entrar mais atentos em águas com menos de 27 graus. Por isso a piscina não costuma passar.

  • Essa mudança brusca provoca um estreitamento dos vasos sanguíneos e chega menos sangue ao cérebro, o que pode provocar até o desmaio.
  • Por cada grau que diminui a temperatura corporal, o que reduz o fluxo sanguíneo cerebral em 6-7%.

Relacionado com este artigo

PRIMEIROS SOCORROS

O fato de que o saber popular fale de ter um especial cuidado durante uma digestão saudável se deve a que nosso estômago precisa de mais sangue para fazer a digestão e, portanto, pode complicar mais a chegada de sangue ao cérebro.

“Do mesmo modo, também há maior risco se a pessoa tem problemas cardiovasculares”, acrescenta o dr. Hernandez.

QUE SINTOMAS PODE DAR

Os sintomas mais comuns são:

  • Palidez e arrepios
  • Visão turva e tonturas.
  • Náuseas e vômitos.
  • Um corte brusco da respiração e da chegada de oxigênio para o cérebro, que acaba em desmaio.

O QUE VOCÊ PODE FAZER

Se você se encontra perante um caso de hidrocución, o primeiro, claro, é retirar a vítima da água , para evitar que se sufocando.

  • Túmbala com as pernas ligeiramente levantadas para que molhe melhor sangue da cebeza.
  • Tápala com uma toalha ou roupa para que ela recupere a temperatura do corpo.
  • Se você vomitar, você tem que colocar a pessoa de lado para que não se atragante.
  • Dar-lhe água lentamente para que se rehidrate. E que seja algumas horas sem comer nada.

Em uma ou duas horas, que tenha sofrido a didrocución tem que ter reestablecido. De qualquer forma, sempre é conveniente consultar o seu médico.

NA ÁGUA SEMPRE ATENTOS

A recuperação costuma ser total. A fama de perigo que tem o mal chamado corte de digestão vem do fato de que, ao estar na água, o que pode acontecer é que haja perigo de que nos ahoguemos por estar em um lugar onde não se toca o chão.

Por isso, sempre, independentemente do que tenhamos comido ou não, há que manter uma série de hábitos de segurança. Os ahogamientos são 7% dos casos de mortes acidentais.

Relacionado com este artigo

VOCÊ SABIA?

  • Não vá apenas a nadar, ou pelo menos não tem lugares isolados onde não possam vê-lo.
  • Divirta-se pouco a pouco para ir acostumando seu corpo à mudança de temperatura.
  • Não mexer em água fria depois de tomar álcool ou uma refeição muito contundente.
  • Especial atenção para os grupos de maior risco: crianças menores de 4 anos, os velhos e os jovens de 15 a 25 anos.

Em resumo, comer saudável, come leve e desfrute do banho sem agobiarte pelo medo ao corte de digestão.

Como ironiza o dr. Carlos González: “Se fazem quatro refeições por dia, oito das 24 horas são as duas horas depois de comer. Aqueles que acreditam no mito do corte de digestão vai ver que um terço dos afogados se afogar depois de comer”. E segurián convencidos de que é por isso.